Reflexão

"Se alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se:

amadores construíram a Arca de Noé e profissionais, o Titanic."

Um dia a lágrima disse ao sorriso: “Invejo-te porque vives sempre feliz”.

O sorriso respondeu: “Engana-se, pois muitas vezes sou apenas o disfarce da tua dor”.


sábado, 25 de julho de 2015

Missionário Eurico Nelson fundador da primeira Igreja Batista em Jerumenha e depois Floriano


A cidade de Jerumenha, situada no centro-sul do Estado, foi a segunda, no Piauí, a receber o trabalho Batista. Tudo começou com a conversão em Manaus de D.Orminda Teixeira de Morais. Natural da cidade de Jerumenha, D.Orminda,em visita ao Estado do Pará ouviu pela primeira a mensagem do Evangelho pregada por Eurico Nelson que muito a impressionou. Passando a residir em Manaus, procurou as Igrejas Batistas daquela cidade, tendo ali feito sua decisão ao lado de Cristo e sendo, após pública profissão de fé, batizada publicamente. Assumiu, então, o propósito de levar a mensagem do Evangelho a seus familiares em Jerumenha.

Em companhia do seu irmão, João Teixeira de Morais, que exercia na época, o diaconato da Igreja Batista de Manaus, empreende D.Orminda, uma viagem a Jerumenha e chegando ali procura evangelizar seus parentes. O testemunho cristão de D.Orminda e de seu irmão, impressiona seus outros irmãos na carne Ildefonso e Mariquinha Teixeira de Morais, residentes naquela cidade os quais aceitam o Evangelho. Regressando dessa viagem, D. Orminada, de passagem por São Luís, Maranhão, solicita ao missionário Eurico Nelson que fizesse uma visita a Jerumenha para batizar seus familiares e instalar um trabalho naquela localidade

Antes mesmo da chegada do missionário, os irmãos Ildefonso e Mariquinha Teixeira de Morais vão a cidade de Floriano e ali compartilham sua experiência cristã de conversão com seus amigos Manoel Dias de Freitas, na intimidade, Né Freitas e Maria Batista de Freitas, na intimidade, Marocas Freitas, bem como, com a filha do casal, Célia Freitas e sua cunhada Adelina Batista da Cunha.
Nelson, aceitando o desafio que lhe fizera D.Orminda, empreende sua primeira viagem missionária ao Piauí. É uma longa excursão que o Pr. José dos Reis Pereira descreve nestes termos:
“Saindo de São Luís (Nelson) subiu o Rio Itapicuru até Caxias e de lá tomou o trem para Teresina. Daí foi pelo Rio Parnaíba até a Colônia (atual cidade de Floriano). Comprou dois livros para ler durante o trajeto. Mas a viajem durou treze dias ele não só leu os dois livros mais também a Bíblia inteira”. 

Chegando a Jerumenha, Nelson realiza ali o batismo de quatro pessoas, incluindo os irmãos Ildefonso e Mariquinha Teixeira de Morais e decide com esses crentes, organizar a igreja daquela cidade, sem vínculo com o trabalho de Corrente (o primeiro trabalho, instalado  no Sul do Estado, na região do cerrado), mas vinculado ao seu ministério missionário na Amazônia e sob os auspícios da Junta Richmond. 

O batismo dos irmãos Teixeira de Morais e a organização da Igreja Batista de Jerumenha causaram um grande impacto na comunidade onde os os Teixeiras de Morais eram muitos estimados e a reação da Igreja Católica não se fez por esperar. Nelson programara ministrar a Ceia do Senhor aos novos crentes, auxiliado pelo diácono João Teixeira de Morais. A cerimônia foi realizada ao ar livre, pois a sala era pequena par comportar o grande número de pessoas curiosas que desejavam assistir àquela inusitada solenidade, e ao realizá-la o missionário foi surpreendido com a chegada do chefe político local, Cel. Balbino Rocha, acompanhado do Pe. Moisés Pereira dos Santos, pároco da freguesia, e de alguns soldados da policia militar. É intimado a deixar o local.Tempos depois, o então Pastor da Batista de Teresina Coriolano Duclerc, assim o descreve:

“Nelson alça a voz como trombeta e tal como Elias, o tesbita, na presença do feroz Acabe, profetiza solenemente:“Sim, Senhor Coronel, eu me retiro em paz, mas fique sabendo que, tão certo como o Deus está nos ouvindo, daqui a dois anos voltarei e o senhor estará deposto deste lugar e nunca mais será eleito neste município”.

A profecia se cumpriu à risca e não só em relação ao Cel. Balbino, que perdeu a liderança política do município e nunca mais a alcançou, como, algum tempo depois, em relação ao Pe. Moisés que deixou a batina contraiu núpcias e gerou filhos, travando difícil batalha com a Igreja Católica da qual se dizia defensor.
De regresso de Jerumenha, Nelson passou em Floriano onde realizou, em 23 de outubro de 1908, o batismo dos quatro pioneiros do trabalho batista naquela cidade, a saber: Manoel Dias de Freitas, Maria Batista de Freitas, Célia Freitas e Adelina batista da Cunha. Esses irmãos passaram a integrar a menbresia da Igreja Batista de Jerumenha que, desse modo, dobrou o número de seus membros de 4 para 8.

Nelson realizou duas outras viagens a Jerumenha. Em 1909, quando empreende sua segunda viagem missionária ao Piauí, e em 1909, quando realiza sua terceira viagem missionária ao Estado, passando sempre pelas cidades de Amarante e Floriano. Em sua terceira viagem realizou batismos em Floriano, inclusive do mais tarde Pastor Teófilo Dantas. Todos os novos batizados tornaram-se membros da Igreja Batista de Jerumenha, única por ele organizada no Piauí.
A primeira igreja organizada como fruto do trabalho de Jerumenha foi a de Floriano, já na gestão do missionário Adolfo João Terry. 

Texto extraído do livro de:
Brito, Itamar Sousa.  História dos Batistas no Piauí-1904-2004-Um Século de Lutas e Vitórias. Rio de Janeiro: JUERP,2003,p. 69,70-71.

Nenhum comentário:

Postar um comentário